Bilhete RTW ou Pay-as-you-go?

Este artigo é sobre a nossa escolha entre comprar um bilhete de avião Round the World ou comprar os bilhetes de avião um a um, à medida da nossa rota. Pode ler sobre que empresas que vendem bilhetes RTW, quais as vantagens e desvantagens de cada um e o porquê da nossa opção.

Bilhete RTW

Os bilhetes RTW são vendidos pela Star Alliance, One World e Skyteam, poderão haver outras mas estas são as que conhecemos durante a nossa pesquisa (a Great Escapade chegou a ser uma alternativa, mas o programa foi fechado algures em 2012).

Cada uma destas empresas tem disponível no seu site um software de planeamento de rota, com o qual o viajante consegue fazer uma simulação da sua viagem RTW, as cidades/aeroportos para onde pretende voar, assim como as milhas usadas nesse percurso, milhas essas que no final correspondem a um custo em euros, claro está.

Da nossa pesquisa e para a viagem que queremos fazer, a grande desvantagem do bilhete RTW acabou mesmo por ser o preço, que nos levou a arriscarmos o esquema Pay-as-you-go. Os valores mínimos a que estávamos a chegar para fazer a viagem, ultrapassavam os 3300 euros e com um pay-as-you-go (mesmo pesquisando preços a 1 mês de distância), conseguíamos valores finais de 2.200 eur por pessoa, para um percurso semelhante, mas recorrendo muitas vezes a empresas low-cost, que não fazem parte dos agrupamentos de companhias aéreas que oferecem a opção RTW.

Um limite muito importante no bilhete RTW é que ele é válido por 1 ano após a data de partida.

Pay-as-you-go

A grande vantagem do pay-as-you-go é sem dúvida a flexibilidade que dá, assim como a possibilidade de usufruir das excelentes low-cost que existem um pouco por todo o mundo, especialmente e no nosso caso, na Ásia. Se é verdade que a América do Sul não tem opções baratas de voos entre países, também é verdade que é fácil e barato viajar e arranjar ligações de autocarro ou comboio.

Na Ásia e Oceânia, dada a existência de inúmeras companhias low-cost, é vantajoso poder optar por estas companhias áereas e evitar as companhias mais antigas e mais “pesadas” na carteira, que compõem os grupos Star Alliance, One World e Skyteam como referimos acima.

Conclusão

Escolher o tipo de bilhete para uma viagem à volta do mundo é um passo importante no planeamento, pois é uma parte significativa do custo e pode implicar perder alguma flexibilidade. É acima de tudo uma escolha pessoal. No nosso caso, não só achámos que nos poderia ficar mais barato, pelo uso de low costs, como em alguns casos poderia justificar fazer percursos pela via terrestre por locais que não queríamos deixar de ver, tomando a opção aérea.

Para quem pretende viajar um ano, a derradeira pergunta a que deve poder responder antes de tomar a opção é mesmo: e se a meio me apetecer ficar dois?

This post is also available in: Inglês

written by

For now...it's HEAVY-LEVEL!

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

© 2017 Copyright - Pegadas em Pangeia