Nova Zelândia, Parte I – a fantástica jornada pelo Sul

N O V A Z E L Â N D I A
One destiny to rule them all.



Ficou ainda muito por ver e fazer na Austrália mas o feeling no final da visita foi de pura satisfação e sobretudo agradecimento pelas duas semanas tão preenchidas e acolhedoras que o João & Joan & Co nos proporcionaram! Mais uma vez, muito obrigada meninos!
E eis que chega o tão esperado dia 8 de Janeiro, a data épica de entrada na idílica Nova Zelândia. Chegam as caminhadas cénicas, kms e kms de deslumbramento e vaquinhas XXL e, finalmente, uma espécie de casa própria. =)

Respirar, admirar, caminhar, fotografar, conduzir, mergulhar, acampar, fazer as compras da semana, “picnicar”, cozinhar, orçamentar, enregelar à noite, ver vaquinhas, ver “The Wire” e…ser incrivelmente feliz.
Eis a nossa Nova Zelândia.

Dado o preço do voo, o tempo disponível e o que boa gente nos havia recomendado, decidimos começar pela ilha sul, voando de Sydney para Christchurch na Air New Zeland, que nos presenteou com um entretenimento premium a la Lord of the Rings. Digamos que o Peter Jackson fez um bom trabalho ao transformar hobbits, feiticeiros e até o Gollum em passageiros e hospedeiros de bordo!! ;)

Chegámos por volta da meia noite (12 a.m. em Portugal) e como a essa hora já não passavam autocarros para o centro da cidade, não nos restou alternativa senão apanhar um táxi. 30€ por 13kms, ouch! Verdade seja dita, o país é deslumbrante, mas o nível de preços é desastrosamente alto (sobretudo para backpackers).
Ficámos alojados em casa da Jenny (regime airbnb), opção mais barata que encontrámos em alternativa à autocaravana, a qual só iríamos recolher no dia seguinte. Não chegámos a conhecer a host, que amavelmente nos deixou um bilhetinho no quarto a dar-nos as boas-vindas e o aval para usarmos a cozinha e wc à vontade, mas apesar de não a termos conhecido foi interessante pernoitar numa típica casa de subúrbio pacato e acolhedor neozelandês. Daqui para a frente, conheceremos apenas o conforto das nossas autocaravanas. =)

No dia seguinte, com o entusiasmo e a curiosidade ao rubro, começou a nossa jornada épica pela ilha do sul…
O plano de festas assentava em quatro grandes ordens do dia:

1a. Recolher a nossa Wicked
nzsul1
Este momento vai para sempre despertar em nós um sentido de aventura, autonomia, acolhimento e, a cada dia que passa, uma vontade enorme de lá voltar…
Depois de meio ano a “saltar de cama” em média a cada dois dias, a perspectiva de passar os (quase) 30 dias que se seguiam numa autocaravana que nos serviria de albergue, restaurante e transporte enchia, na perfeição, as medidas de uma “casa”, naquele momento.
Tirada a foto da praxe (a do salto) ao lado da nossa nova companhia, arrumámos os pertences e seguimos para a segunda ordem do dia.

2a. Abastecer a dispensa/geladeira (=mala do carro)
Pack&Save! Foi esta a superfície eleita para as “compras da semana”. Ingredientes core: massa, arroz, pão, ovos, óleo, sal, fruta, leite, cereais e enlatados (marca do mais branca possível)!!
Depois de todos estes “produtos de sustento” estarem devidamente arrumado na nossa mega dispensa e geleira, demos lugar à terceira ordem do dia, que implicava abrir os cordões à bolsa e dispender 1,5 do orçamento de um dia em combustível!

3a. Encher o depósito (60€ )
Alugar uma autocaravana é, sem dúvida, a forma mais económica de conhecer esta pérola do Pacífico, mas ainda assim a coisa fica cara para um backpacker!! No entanto, para diluir um pouco a despesa, há sempre a opção de encostar uns dias e apanhar umas frutas ou limpar um hostel em troca de comida e dormida, mas desta vez, dado não termos assim tanto tempo para visitar as duas ilhas, optámos por ficar por nossa conta apenas.

4a. Começar a jornada pela ilha onde O anel foi forjado.
A espetacularidade dos sítios que visitámos deixa qualquer tentativa descritiva por isso mesmo…pela tentativa, por isso achámos que este relato ficaria melhor servido se baseado numa cuidada seleção de fotografias. =)
Aqui fica então o nosso itinerário (hopefully) devidamente ilustrado.

De 09/01 – 10/01
Christchurch – Lake Ellesmere (~70km)
Pernoita no Lakeside Domain Park com wc, contentores lixo e água del cano. Parque gratuito.
nzsul2

nzsul3

nzsul4

nzsul5

nzsul6

nzsul7

nzsul8

De 10/01 – 11/01 (~300km)
Lake Ellesmere – Castle Hill – Arthur’s Path – Greymouth
Pernoita no Greymouth Kiwi Holiday Park com balneários, cozinha, BBQ, wifi. Parque pago.
Trekking: Castle Hill e Arthur’s Path. Total de 10 km.

nzsul1

nzsul3

nzsul4

nzsul5

nzsul6

nzsul7

nzsul9

Castle Hill Boulders

nzsul9

nzsul10

nzsul11

nzsul12

nzsul13

nzsul14

nzsul15

nzsul16

nzsul17

De 11/01 – 13/01
Greymouth – Franz Josef Glacier – Lake Matheson – Lake Wanaka (~460km)
Pernoita no Rainforest Holiday Park com balneários, cozinha, BBQ, wifi, sauna. Parque pago.
Pernoita no Wanaka Top 10 Holiday Park com balneários, cozinha, BBQ, wifi. Parque pago.
Trekking: Franz Josef e Lake Matheson. Total de 10km.

nzsul8

nzsul9

nzsul10

nzsul12

Franz Josef Glacier

nzsul13

nzsul14

nzsul15

nzsul16

nzsul17

Almoço! :)

nzsul18

nzsul19

nzsul20

nzsul26

nzsul1

nzsul2

nzsul3

nzsul6

nzsul7

De 13/01 – 14/01
Lake Wanaka – Arrowtown (~60km)
Pernoita no Arrowtown “Born of Gold” Holiday Park com balneários, cozinha, wifi. Parque pago.

nzsul1

nzsul2

Lake Wanaka

nzsul3

nzsul4

nzsul5

nzsul6

De 14-01 – 15/01
Arrowtown – Queenstown (~20km)
Pernoita no Frankton Motor Camp com balneários, cozinha, wifi. Parque pago.
Trekking: Arrow river trail. Total de 8km.

nzsul7

nzsul8

nzsul9

nzsul11

“If you want him, come and claim him!”, LoR

nzsul12

De 15/01 – 16/01
Quenstown – Glenorchy – Te Anau (~270km)
Pernoita no Te Anau Top 10 Holiday Park com balneários, cozinha, wifi, sauna. Parque pago.
Trekking: Routeburn track. Total de 9km.

nzsul1

nzsul2

nzsul3

nzsul4

nzsul5

nzsul6

nzsul7

nzsul8

nzsul9

nzsul10

nzsul11

nzsul12

nzsul13

nzsul14

nzsul15

nzsul16

Jantar! :)

nzsul17

Lagosta oferecida pelo Sean =)

De 16/01 – 17/01
Te Anau – Milford Sound – Cromwell (~450km)
Pernoita no Cromwell Top 10 Holiday Park com balneários, cozinha, wifi. Parque pago.

nzsul1

nzsul2

nzsul3

nzsul4

nzsul1

nzsul2

nzsul3

nzsul4

nzsul5

nzsul6

nzsul7

nzsul8

De 17/01 – 18/01
Cromwell – Lake Pukaki (~180km)
Pernoita no Glentanner Park com balneários, cozinha, wifi. Parque pago.

nzsul2

nzsul3

Close to Twizel was the filming location of the epic battle of Pelennor Fields

nzsul4

The place where “The Great Battle of Middle Earth” took place

nzsul5

nzsul6

Lake Pukaki

nzsul7

De 18/01 – 20/01
Lake Pukaki – Lake Tekapo (~80km)
Pernoita no Lake Tekapo Holiday Park com balneários, cozinha, wifi. Parque pago.
Trekking: Kea Point Walk, Mount Cook Area. Total de 5km.

nzsul8

nzsul9

Mount Cook

nzsul10

Pânico total!! Não parece mas estava uma ventania daquelas…

nzsul12

nzsul13

nzsul14

nzsul15

Lake Pukaki

nzsul16

nzsul17

nzsul18

De 20/01 – 21/01
Lake Tekapo – Christchurch (~230km)
Pernoita no Christchurch Top 10 Holiday Park com balneários, cozinha, wifi. Parque pago.

nzsul1

nzsul2

nzsul3

Lake Tekapo

nzsul4

nzsul5

Jantar :)

nzsul6


Para quem estiver a pensar visitar a NZ deixamos-vos uma dica muito preciosa que foi partilhada connosco pelo Zé, um dos simpático portugueses que conhecemos em Sydney. Pois então, a dica é: façam o download da app “CamperMate”, onde vão encontrar um mapa que assinala todos os pontos importantes para o camper, tais como onde ficar (parques de campismo gratuitos e onerosos), onde fazer compras, onde abastecer, locais com wifi, WCs, etc.
Não chegámos a visitar Nelson, no norte da ilha, onde foi forjado O anel, mas fica para uma próxima! =)

De Christchurch voámos para a Wellington, pela Jetstar, e de lá seguimos de autocarro até Auckland para alugarmos a nossa segunda “casa ambulante”. Desta vez, mais pequena e, muito importante, mais barata!!

Até breve! =)


This post is also available in: Inglês

written by

For now...it's HEAVY-LEVEL!

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

© 2017 Copyright - Pegadas em Pangeia